quarta-feira, agosto 03, 2005

 

Negociações suspensas

A empresa de investimento de risco anunciou hoje ter suspendido as negociações para compra do diário A Capital, alegando que o representante do grupo espanhol de media detentor do jornal incumpriu o acordo entre as partes.
“A LP-Brothers VentureCapital suspende as negociações de aquisição do jornal A Capital” porque “o representante do accionista, Dr. António Matos, não cumpre com o acordado e faz bluff nas negociações”, refere em comunicado.
Segundo refere a empresa de capital de risco, a LP-Brothers “pretendia, até ao final do mês de Agosto, realizar a aquisição e resolver de imediato o passivo corrente” do diário lisboeta que foi sábado suspenso pela Prensa Ibérica, grupo espanhol de media que detém aquele jornal.
O managing partner da LP-Brothers, Pedro Xavier Pereira, disse segunda-feira à Lusa que a decisão de propor a compra de A Capital até final do mês se mantinha depois de uma reunião realizada nesse mesmo dia o representante em Portugal do grupo de media Prensa Ibérica.
“Reunimos com António Matos, que diz representar os accionistas de A Capital, e ficou decidido” que seria assinado terça-feira um acordo de confidencialidade entre as duas empresas a fim de ser facultada à LP-Brothers informação sobre a situação do jornal, explicou o responsável na altura.
De acordo com Pedro Xavier Teixeira, a intenção do grupo comprador era adquirir o diário “com toda a sua estrutura”, mantendo os actuais trabalhadores nos seus postos.
Segundo adiantou, a LP-Brothers representava um “grupo espanhol de investimento que já tem algumas participações - apenas como parceiro financeiro - nos media”.


Comments:
Lendo esta bela notícia, que só nos pode deixar "muito confiantes", coloco apenas uma questão: Será que alguém se digna a chegar junto dos trabalhadores, que alegadamente tiveram a hipótese de manterem os seus postos de trabalho, e dizer o que realmente se passou durante as "negociações"? Penso que seria o mínimo a fazer...
 
Que estranha atitude, a do António Matos...
Soube do caso de um jornalista que lhe telefonou interessado n'A Capital e nada...
 
Então e falarem com a malta, não? Não é por nada, mas é que nesta situação a esperança é sempre a última a morrer e qualquer burburinho que se ouça relacionado com a compra deste jornal, enche-nos de expectativas...acho que merecemos explicações.
 
Olá Inês!
Vejo que continua a visitar o blog intimista e cor de rosa que tanto odeia... Pois, pois..
 
Olá Adriana!
este post que comentei não é intimista, é informativo - por isso a provocação (gira, por sinal) não é válida. Os escritos da choradeira passo à frente, que não tenho nada a ver com isso - é uma espécie de voyerismo. Como isto não tem só lágrimas e passaram à informação, que é o que me interessa, volto cá sim senhora. Pode ser ou não? É assim que se lêem jornais: passa à frente, lê, passa à frente, lê. E adiante. Já leram o que está no blog do Comércio sobre este assunto?
 
Acho que só nos resta fazer uma coisa. A redacção deve convocar o António Matos para nos dar explicações. No minímo, estamos, baralhados.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

eXTReMe Tracker