quarta-feira, novembro 30, 2005

 

Email

O email d'A Capital pifou e com ele tudo o que lá estava dentro. Por isso algumas mensagens ainda nao lidas podem muito bem ter sido recambiadas para algum buraco negro da internet. Assim, se alguem tinha mandado algo importante para o mail, pode faze-lo de novo. A morada mantém-se igual. O que significa que já funciona de novo!

segunda-feira, novembro 28, 2005

 

689

Enganei-me (aqui). Afinal, A Capital ainda aparece no teletexto da RTP. Já não tem página autónoma com a última capa. Mas surge no índice de jornais. Basta carregar 689.

sexta-feira, novembro 25, 2005

 

O Baloiço

Este é mais um post de saudade, que toca indirectamente A Capital. Tenho saudades do Baloiço. De lá ir lanchar e pagar um balurdio por um chá de limão e uma torrada, depois de estar meia-hora á espera que um dos simpáticos e bem educados empregados fizesse o favor de me atender. Depois de esbracejar até mais não, para pedir um pouco de atenção. Depois de me arrepender 30 vezes de lá ter ido, mas continuar a ir. Tenho saudades da virilidade daqueles empregados, todos muito machos, mas que tentam provar qual sabe mais, qual é mais engraçadinho e, ás vezes, qual manda mais. E tenho saudades de lá ir, por vezes, almoçar à pressa ao balcão, em pé. E, dentro do balcão. três ou quatro empregados, que gritam uns com os outros e que tentam sempre achar algo que o outro tenha mal feito. E fazem questão de o gritar bem alto para que os clientes percebam que, AQUELE colega fez porcaria. Entrando no espírito, torna-se bastante engraçado. E tenho saudades do meu eco. De pedir um café e de ouvir, com meros segundos de intervalo, o empregado a pedir o meu café a outro colega que, por sua vez, o tira, entrega-o ao colega que o pediu para, por fim, me chegar às mãos. E tenho saudades de pedir uma sandes e ouvir um berro "sai um mafra ao embrulho". E depois há sempre aquelas camisas azul baloiço. E 1/3 dos empregados têm bigode, sendo que 2/3 tem pulseira ou fio de ouro. Pelo menos dois tinham a unha do dedo mínimo grande... talvez para servir melhor os bolos ou as sandes. E tenho também saudades de ir almoçar ao snack, nome pomposo para uma cave quente e cheia de gente à procura de um almoço barato. Saudades de comer sopa aguada e de ver a minha comida chegar por um intermédio de um elevador com um apito irritante, depois de ouvir chegar a sopa, o prato e a sobremesa. Tenho saudades do empregado do snack chamar o meu nome aos berros á entrada e à saída, tentando eu que ninguém percebesse que ia ali almoçar em vez de ir ao Sete Mares. Tenho saudades do Baloiço e nunca mais tive coragem de lá entrar. Tenho medo que ainda me reconheçam.

quinta-feira, novembro 24, 2005

 

Hallo

Recomposto da "nice trip to Köln", eis-me de volta a Frankfurt. Tenho agora um tempo para ler as vossas respostas aos meus últimos posts e ver, com agrado, que alguns de vós voltaram a dedicar uns minutos à Capital.
Por cá tudo na maior. Mas faz um frio desgracado neste sítio. Nunca passa dos 5 graus. O normal é andar pelos 2. Até neve já vi cair. Estas condicoes monstruosas que me dao cabo da hidratacao da pele, já me obrigaram a fazer uma visita à H&M mais próxima, embora o que eu desejasse mesmo era entrar na loja da Boss e comprar o que preciso e nao preciso. (AGM - falas de Madrid, mas se visses as lojas daqui até o teu cabelo mudava de cor!!)
É claro que o frio tem bastantes desvantagens, sendo que uma delas é transformar as belas das femeas alemas em autenticos pneus da Michelin, com tanto casaco e cachecol que vestem. Mas a coisa melhora bastante dentro dos bares e discotecas. Aí, as "frauen" justificam a razao da Alemanha estar na cabeca da Europa (frase sem segundo sentido, ok?). Sao bonitas, pintam-se bem e vestem-se ainda melhor. Um luxo. Um regalo para os olhos. Mas fiquemo-nos por aqui quanto a este assunto ou entao ainda me meto em trabalhos.

Auf Wiedersehen und bis bald (Adeus e um queijo da serra!)

quarta-feira, novembro 23, 2005

 

Serviço público

Três meses depois do encerramento do jornal A Capital, o serviço público de televisão português, que dá pelo nome de RTP, anulou o link no seu teletexto para a primeira página do já histórico periódico da cidade de Lisboa.
Mas o Comércio do Porto continua lá... E, mistério dos mistérios, com uma capa de 22 de Outubro. A manchete diz: "Europa proíbe feiras e exposições de aves". Basta carregar 671.

 

Chamamos o reboque?

Hoje passei junto à Capital e, curiosamente, continuam a estar carros estacionados no nosso parque que eu não conheço de lado nenhum... Mas faltou lá ver o carro da Koto todo torto, o carro da Oliveira em cima do passeio, à grande e à mafrense ou carros em segunda fila quase até ao hotel (passo o exagero)...

terça-feira, novembro 22, 2005

 

Eu estou aqui!

Bom, tal como a Clarinha, eu também respondo à chamada. E eu estou aqui (eu sabia que a música do Abrunhosa havia de servir para alguma coisa). Grande parte das pessoas refez a sua vida depois do abrupto encerramento da nossa Capital, e é normal que a chama tenha esmorecido um pouco. Ainda assim, duvido que alguém se tenha esquecido de todo o processo que passámos. Ainda hoje as pessoas me dizem que foi uma pena, uma perda... e essas coisas que já todos ouviram. Mas por mim falo, as saudades que tenho das pessoas são mais que muitas. O barulho, a confusão, as televisões aos berros, tudo a correr de um lado para o outro. E quem já está noutras redacções aposto que sente a falta desse ambiente inesquecível. As comparações são inevitáveis. Não faço a mínima ideia como vai a Cooperativa, julgo que poucos fazem, mas acredito no empenhamento de quem está à frente do projecto. Tenho pena que as informações sejam tão secretas que não dão qualquer luz a quem está interessado. Tal como a Clarinha, também não há um dia que não dê uma espreitadela pelo nosso blog, que o Camera tem mantido sozinho. Prometo voltar e ser um bocado mais positivo da próxima vez... mas ainda há muito sentimento capital cá dentro. Pedia a todos que vão dando notícias, por aqui... se estão bem, se já trabalham, se casaram e tiveram filhos, essas coisas....

Já agora aproveito para lançar a sugestão de irmos pensando num jantar de Natal...que tal?

Beijos e abraços a todos!

Se vos apetecer espreitem o Ventoinha.

 

Saudades

Em Madrid não nos esquecemos de vocês. Lá em casa até reservámos uma parede, intitulada parede A CAPITAL, só com fotos do pessoal. Mas é realmente pena que o blog tenha perdido a intensidade inicial. Gostava de saber por onde andam todos... Beijinhos!

 

Olá a todos!

Com o Teixeira a descobrir as paragens alemãs...um conselho a todas as turistas e meninas que decidam viajar para terras de el Merkel: cuidado! É que com o homem do Dragão à solta por terras germânicas nunca ninguém sabe muito bem como é que fica a integridade física das lady’s. Mas numa coisa tens razão Teixeira...a Capital acabou, as pessoas refazem as vidas e o blogue quase que «morreu». Não há dia nenhum que não entro nele. Confesso mea culpa também. Por vezes o tempo e a disposição não é muita para escrever. Até porque tudo acabou em Julho mas ainda parece que foi ontem. Ainda assim espero que estejam todos bem e se lembrem, de vez em quando, de pelo menos visitar o nosso espaço. Quanto mais não seja para aumentar o número de visitantes (risos)... Para além de nos aproximar acho que é preciso manter viva a chama da Capital. Ainda que seja uma chama muito pequenina!
Beijinhos para todos!

sábado, novembro 19, 2005

 

11/11 in Köln

Depois de assentar arraiais em Frankfurt, parti quase de imediato para Colónia. Uma viagem de menos de 200 kms que se faz num tirinho de carro. Especialmente nestas autoestradas onde na maior parte das vezes nao há limite de velocidade. O motivo que me fez saltar da cama antes das sete da manha foi uma festa... pois claro. Mais precisamente o "11/11 in Köln"!
Sem saber muito bem ao que ia - só me disseram que tinha de arranjar uma máscara e muita vontade de beber - lá me fiz à estrada num povoado Audi... no qual eu era o único gajo ;)!!
A festa do 11/11 é um acontecimento de um dia que se realiza a 11 de Novembro. E tem início as 11h11. Trata-se de uma espécie de Carnaval, como que um teste para o verdadeiro Carnaval, no ano seguinte. Regras nao há. Ou melhor. Há apenas a "directiva institucional" de beber até cair para o lado. Mascarado ainda melhor.
Assim, quando dei por ela, ainda nao tinha chegado e já estava a emborcar umas cervejas numa bomba de gasolina, enquanto o meu grupo esperava por uns amigos que estavam atrasados. Beber é um acto universal e, portanto, nao precisa de grande palavreado. Alguem levanta uma lata de cerveja, um gajo acena com a cabeca e pronto! Estamos de novo com o copo cheio e só temos de dizer "danke".
Se por mim a coisa já estava divertida, mesmo que fossem apenas 8h30 da manha, quando cheguei a Colónia entao percebi finalmente no que me ia meter. Milhares e milhares de pessoas na rua, a grande parte delas mascaradas a preceito, a percorrer os bares todos do sítio atrás de uma Kölsch, a cerveja típica local.
Impressionante o ritmo a que as rodadas se esvaziavam na mesa que ocupámos na Sion Brauhaus, uma das mais famosas tabernas da cidade. A dada altura - depois da sexta ou sétima imperial intercalada com shots - ainda pensei em trincar qualquer coisa para aconchegar o estomago, mas avisaram-me logo que ainda era muito cedo para tal. Estou tramado, pensei. Lá se vai a técnica das tres imperias/uma refeicao para retardar a bebedeira.
E o dia passa-se assim. A beber, a dancar ao som da música tradicional alema (nem vos conto!) e a aguentar o máximo em pé, de preferencia até se conseguir engatar uma das muitas miudas que seguem o nosso exemplo, mas que por razoes óbvias "dao mais cedo à costa". Claro que eu fui mais esperto e aviei-me em terra com uma alema lindissima!!
Falta dizer que a minha farpela à "flower power" nao convencia ninguém e que o dia foi muito, mas muito longo para os meus 29 anos. Mas ao menos nao cheguei a estar completamente bebedo. Ou pelo menos nao me lembro de ter estado.
Para quem vem do sul da europa, até parece mentira ver os alemaes (novos e velhos) em plena loucura no meio das ruas, vestidos de pinguins, palhacos, médicos, vampiros e eu sei lá mais, a dancar como se nao houvesse amanha. E dizem-me que em Fevereiro é ainda pior!! Quero comprovar isso.
Auf Wiedersehen und bis bald!

ps- Por esta altura já sei que o SLB perdeu em Braga e que o FCP goleia a Académica.... Eh eh eh!

sexta-feira, novembro 18, 2005

 
O tempo que tenho agora nao me permite muito mais do que ler rapidamente uns quantos blogs de amigos e esvaziar a caixa de email. No meio de tantos sempre bem-vindos emails do super-Homero, encontro uma mensagem antiga do António Barroso (editor do Comércio do Porto). Estavamos a combinar um mega-repasto entre as duas redaccoes despedidas sumariamente pelos espanhóis. A coisa nao avancou por uma razao ou por outra e foi pena. Acho que já nao existe uma segunda oportunidade. Lamento porque, conhecendo pessoas no Porto e em Lisboa, teria sido bem divertido, mesmo tendo em conta o motivo que nos reunia. Paciencia. Fica aqui o abraco na mesma para todos.
E fica um outro especial para o Cameraman Metálico, que neste tempo todo tem mantido acesa a chama do blog. Vou tentar acompanhá-lo, mesmo estando longe de Portugal. Só nao percebo como é que de tantos que nós éramos, ninguém tem absolutamente nada para escrever aqui. O que se passa com voces?

 

Rui´s chronicles

Isto de estar desempregado, para mim, tem muito de parecido a estar de férias. Com a devida excepcao de que nao tenho um risco vermelho na minha agenda Moleskine a ditar o fim do meu ócio e o regresso à ditatura de uma gráfica que aos meus olhos todos os dias fechava o meu querido jornal mais cedo do que devia. Mas adiante. Sem ter entao muito que fazer decidi fazer-me à estrada com uma mala às costas (nada de cartao amigos, Samsonite do bom!) e rumar ao país das salsichas e da cerveja. Vou estar por estas bandas umas tres semanas e como uma já passou a correr, tenho bastante para contar. O único problema é ter alguns minutos livres para sentar-me à frente do PC, porque uma coisa desde já vos garanto: aqui o "je" nao tem parado um segundo nestas frias terras alemas. Antes de ir pousar a cabeca no travesseiro, duas coisinhas mais: estes teclados aqui na Alemanha sao uma boa merda pois nao tem acentos à "portuga"; e volto em breve para relatar as minhas aventuras.

Auf Wiedersehen und bis bald (Adeus e um queijo da serra!)

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

eXTReMe Tracker