sexta-feira, novembro 25, 2005

 

O Baloiço

Este é mais um post de saudade, que toca indirectamente A Capital. Tenho saudades do Baloiço. De lá ir lanchar e pagar um balurdio por um chá de limão e uma torrada, depois de estar meia-hora á espera que um dos simpáticos e bem educados empregados fizesse o favor de me atender. Depois de esbracejar até mais não, para pedir um pouco de atenção. Depois de me arrepender 30 vezes de lá ter ido, mas continuar a ir. Tenho saudades da virilidade daqueles empregados, todos muito machos, mas que tentam provar qual sabe mais, qual é mais engraçadinho e, ás vezes, qual manda mais. E tenho saudades de lá ir, por vezes, almoçar à pressa ao balcão, em pé. E, dentro do balcão. três ou quatro empregados, que gritam uns com os outros e que tentam sempre achar algo que o outro tenha mal feito. E fazem questão de o gritar bem alto para que os clientes percebam que, AQUELE colega fez porcaria. Entrando no espírito, torna-se bastante engraçado. E tenho saudades do meu eco. De pedir um café e de ouvir, com meros segundos de intervalo, o empregado a pedir o meu café a outro colega que, por sua vez, o tira, entrega-o ao colega que o pediu para, por fim, me chegar às mãos. E tenho saudades de pedir uma sandes e ouvir um berro "sai um mafra ao embrulho". E depois há sempre aquelas camisas azul baloiço. E 1/3 dos empregados têm bigode, sendo que 2/3 tem pulseira ou fio de ouro. Pelo menos dois tinham a unha do dedo mínimo grande... talvez para servir melhor os bolos ou as sandes. E tenho também saudades de ir almoçar ao snack, nome pomposo para uma cave quente e cheia de gente à procura de um almoço barato. Saudades de comer sopa aguada e de ver a minha comida chegar por um intermédio de um elevador com um apito irritante, depois de ouvir chegar a sopa, o prato e a sobremesa. Tenho saudades do empregado do snack chamar o meu nome aos berros á entrada e à saída, tentando eu que ninguém percebesse que ia ali almoçar em vez de ir ao Sete Mares. Tenho saudades do Baloiço e nunca mais tive coragem de lá entrar. Tenho medo que ainda me reconheçam.

Comments:
Eu sempre achei que os empregados do Baloiço eram ex-delinquentes que estavam ali através de um qualquer programa de reinserçao social! Escrevo isto sob pseudónimo nao vao eles ler e apanhar-me aí numa esquina qualquer pra me dar um enxerto de porrada!
 
Grande escriba. Eu também sinto saudades do nosso café... apesar de me dizerem que ali era mais caro, voltava lá sempre... também era o único sítio onde me tratavam pelo meu nome e pasme-se fiavam-me quando andava mal de finanças, quase sempre diga-se de passagem.
abraço
CM
 
fiado no baloico??? o gajo de preto com fio de ouro ao pescoco nao devia saber disso...eheheheh
 
ps- esqueci-me de dizer grande escrita, claudio... podias era ter trocado o cha de limao por um Johnny Walker... ;)
 
Teixeira.... falha minha.... mas no baloiço não eram só meias de leite, imperiais e vinho carrascão??? ;)

camera... de facto, e dos poucos sitios onde nos tratam pelo nome... e onde, ao fim de umas semanas, toda a gente que lá almoça sabe também o nosso comunidade. Digamos que se trata da comunidade baloiço. ehehe
 
Aí está algo de que não tenho saudades. São as vantagens não beber café.
 
Teixeira, nunca tive muito à vontade com o patrão... as facilidades eram da tropa rasa claro... E nada de abusos... fiavam-me e eu pagava... Cimentou-se assim uma espécie de amizade que ainda perdura.
CM
 
ah pois... porque o Dom Baloiço não brinca! Cuidadinho com ele!
 
Segue uma denuncia anónima para o D. Baloiço! ehehehehehehe
 
Mas vocês estão todos a falhar...Bom bom era aquele cheirinho (no verão) a perfume que vinha debaixo dos braços dos gajos! Isso é que era mesmo bom!
 
As coisas que eu perdi...
 
epa, clarinha, tinhas logo que partir para as nojices... eu ocultei as partes mais nojentas... tipo essa e também o facto deles mexerem em tudo com as mãos e aguinha.... de todas as vezes que lá fui, nunca vi tocar naquelas mãos. Mesmo mexendo em dinheiro, vassouras, panos nojentos, coçar os tomates... etc! Tu e que puxaste por mim clarinha... eu nem queria ;)
 
Tá-me a parecer que voces nunca comeram numa tasca...
Ó pá o que não mata, engorda...
E também é verdade estes gajos são avessos ao banho... costumes... há 30 anos quase toda a gente cheirava assim... modernisses.
Por falar em odores, só recentemente é que comecei a usar desodorizante neutro, era sabonete e já estava. Mas há por aí muita tia a busar nos cheiros (devem tomar banho em perfume) no outro dia meti-me no elevador com uma destas e não é que ia vomitando... devia ser Channel 6...
kisses & embraces
CM
 
Camarada CM, há tascas onde se come bem melhor do que no Baloiço. E paga-se menos. E bebe-se bem. E ainda se pode jogar à moeda para ver quem paga o copo 3.
 
Acredito, mas nenhuma fica à porta do serviço...
O Baloiço tinha coisas boas e coisas más como em todo o lado.
Está para abrir o 100% perfeito!
Hoje consegui comprar pasta medicinal Couto (a batalha do 560)... ando numa de revivalismo.
Abraços
CM

PS Abri uma loja nova em www.metalpictures.blogspot.com
 
eu concordo com o bruno. Há tascas onde se come bem barato e muito melhor do que aqueles pratos do Baloiço. Mas, claro, era o que tinhamos a porta...
 
Venham as tascas. Detesto é comer em sítios finos. Venho sempre com fome. E não sou de comer muito.
 
desde que haja uma febrazita, ne? ehehehe
 
Bitoque ou outra coisa qualquer que envolva carne, batatas e arroz, também serve.
 
O bola na rede anda com muita chichinha!!!!!
 
Também vou pôr "chichinha" no meu blog para vir para aqui fazer publicidade.
Aliás: vou fazer um blog só com febras.
 
Vocês ainda não viram tudo sobre a temática «febras e blogs». Novidades em breve, ninguém pára o B!
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

eXTReMe Tracker