quinta-feira, fevereiro 15, 2007

 

E agora?

E agora, legalizada a IVG até às 10 semanas, o que esperamos do Estado português? Para já assistimos a contradições dentro do próprio PS/Governo sobre o período de reflexão das mulheres que pretendem «matar» a «coisa humana» - como lhe chamou a «coisa» denominada Lídia Jorge. Não sabemos em que moldes haverá consultas de aconselhamento. Desconhecemos, por exemplo, em que condições pode uma menor abortar. Já vimos médicos - que integraram movimentos a favor do «sim» - dizer que o Serviço Nacional de Saúde não tem condições para levar a cabo a IVG, tendo em conta que se realizam 80 mil abortos por anos em Portugal. Inclusivamente vimos esses mesmos médicos a apelar ao Estado para recorrer aos privados.
Um mar de dúvidas que não têm respostas.
Para os que acham que a vitória no «sim» no referendo foi também uma batalha ganha do Primeiro-Ministro, gostava que José Sócrates respondesse positivamente a estas questões. Pelo menos há uma guerra que o líder socialista venceu: a da LIBERALIZAÇÃO da IVG.

Comments:
Agora estão os espanhois e os privados a esfregar as mãos a ver quem fica com o bolo...
Pelo menos despenalizaram a cena e quem ia a julgamento já não vai!
CM
 
Antes um aborto hoje que um ex-capital amanhã.
 
Olha seu idiota, um grande aborto és tu, que se tivesses um pingo de vergonha na cara, não dizias disparates. Lamento se vou baixar o nível, mas perante um traste como tu, não me contenho. Já que não respeitas os outros, respeita-te a ti próprio. Parvalhão!
 
ass hole!


CM
 
Zé Bitatites = a merda.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

eXTReMe Tracker