quinta-feira, janeiro 31, 2008

 

POVO de LISBOA - 1

Sempre gostei destas crónicas que no ano de 2001/2002 sairam no jornal A CAPITAL na última página... fotografei umas quantas e escrevi duas... esta deu muito gozo.
O João Nascimento corrigiu os erros e meteu virgulas onde não tinha - thanx bro!


O HOMEM da GINJINHA
Manuel Sousa trabalha numa adega muito especial.
A Ginjinha Sem Rival na rua das Portas de Santo Antão, ali perto do Rossio.
Desde 1968 que este minhoto nascido há 52 anos em Ponte da Barca, trocou a terra que o viu nascer pela capital, e um trabalho na lavoura por este de vender licores em pequenos copos de cristal. Dentro do licor vão quase sempre pequenas cerejas bravas conhecidas no nosso país por ginjas.
A “Sem Rival” já existe há mais de 125 anos naquele local e os fregueses certos mais os turistas não dão descanso a Manuel Sousa que de tanto rolar a garrafa pelo balcão de madeira já o desgastou cerca de cinco centimetros de fundo.
A velha garrafa de cristal cheia de licor com formula secreta e quase meia de frutos acastanhados enche centenas de copos todos os dias… a precisão com que Manuel deixa escorrer o licor para os copos deixando passar sómente 4 ou cinco frutos é digna de se ver. Esta bebida custa agora 50 centimos um copo pequeno e 80 centimos um grande – suficiente para levar quase meia dúzia de ginjas mais um gole deste licor tão apreciado pelos alfacinhas.
Muitos fregueses bebem a ginja de um só gole, outros bebem aos sorvos e apreciam o paladar… todos sem excepção cospem os pequenos caroços para o passeio da frente da taberna.
No entanto Manuel de Sousa ainda se lembra de nos anos sessenta quando aqui começou a trabalhar os mesmos copos custarem 8 e 13 tostões respectivamente, ou seja menos de um escudo e cinquenta centavos. Viajar de Ponte da Barca para Lisboa foi a maneira de escapar à dura vida no campo. Os seus pais e os quatro irmãos ficaram a tratar da terra e Manuel veio à procura de melhor trabalho na capital. Gostou tanto deste emprego vendendo licores que foi ficando e é com um sorriso nos olhos que responde às nossas perguntas enquanto vai aviando os fregueses que chegam – “com ou sem elas?” é o que pergunta mais todos os dias… às vezes vem muitos turistas! Espanhois, brasileiros são também grandes apreciadores do afamado licor que não contentes com o que bebem logo ali de pé ainda carregam para os seus países Ginja Sem Rival e Eduardino engarrafados. Para os apreciadores há ainda a versão “ginja especial” a 1.15 euros cada copo – sempre sem elas!
A ginjinha é um excepcional aperitivo e um óptimo digestivo – tudo pró e a um preço sem concorrência!
António Melão

PS Passados 6 anos - a casa sofreu obras, o balcão foi mudado, os copos agora são de plástico e a ASAE deve andar de olho na formula desta bebida tão lisboeta...

Comments:
Boa prosa! Boa ginja! Boa tradição! Agora da ASAE é que não se sabe!
Abraço
 
Fiz vários. Mas de todos o que mais gostei foi do que fiz com o projecionista do antigo cinema Éden, que na altura estava no também extinto cinema Olímpia - um cinema porno de sessões contínuas.
 
Posta...
CM
 
Simpático Caballero
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

eXTReMe Tracker